sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Maktub



Maktub...  sempre acreditei em destino, se prestarmos atenção aos detalhes perceberemos que nada é coincidência, ou talvez coincidência seja o sinônimo prático de destino. Um exemplo bem simples: O Clone é minha novela brasileira preferida, em 2002 gravei (e ainda tenho) o final em VHS; sempre quis revê-la em Vale a Pena Ver de Novo, mas SEMPRE estudei à tarde, eu torcia para que ela passasse e eu visse alguma coisa, ao menos, quando estivesse de férias... mas não foi reprisada, por "coincidência" ela foi reprisada no início do ano, nas férias "eterna" em que me encontrava após ter concluído o Ensino Médio (outra coincidência: repeti a 8ª série em 2007, se tivesse passado não teria como assistir a novela esse ano).

Ai, eu adoro essa novela. Dessa vez eu torci pra Jade e Said, hoje entendo que não fazia sentido Jade ter ficado com Lucas, não depois de todas as vezes que ambos deixaram um ao outro na mão... acredito que por essas idas e vindas, encontros e desencontros a Glória Perez tenha deixado os dois juntos. Hoje também entendo melhor a personagem Deusa: querer ter filhos, não poder, conseguir ter um filho, tê-lo, perder o vínculo de mãe e filho, perdê-lo de vista, vê-lo fugir várias vezes em busca do "pai", descobrir que ele não é totalmente seu, descobrir que ele é um clone de outro e perdê-lo outra vez pra sempre, ou melhor esperar por ele pra sempre. Albieri é um gênio, e como tantos outros gênios a genialidade acabou o enlouquecendo também, o que, na minha opinião, reforça a teoria "a ignorância é uma bênção", enxergar o mundo de verdade ou um pouco mais do que nos é "permitido" é de enlouquecer. Tio Ali é o filósofo, o porta-voz da Glória, as quotes e reflexões mais célebres da novela são as dele... queria ter anotado todas, mas um dia eu compro uma cópia de todos os capítulos na íntegra dessa novela haha.

A novela é tão boa que minha vontade era escrever sobre cada personagem aqui: Lobato, Clarice, Diogo, Léo, Said, Mel, Maysa, Xande, Leônidas, etc. O Clone não é uma novela como as outras, as suas sucessoras e até antecessoras estão longe de serem melhores que ela, vejamos: A) Análise psicológica dos personagens: são tão simples e tão profundos os diálogos e as situações em que eles se encontram que que dá pra sentir, sem mesmo "ouvir", o que as personagens querem e pensam; exemplo: o casamento de Lucas e Maysa, o medo que o Lucas tinha de "voar sozinho", o envolvimento de Mel com as drogas, o drama na casa de Leônidas, a impulsividade de Jade, a posição do Tio Ali na primeira fase da novela e etc. B) Coerência - a autora, apesar dos pesares (detesto o núcleo "enchimento de lingüiça" que com certeza estavam na novela por ordens dos produtores executivos da emissora), tem um compromisso SÉRIO em não fugir da proposta... coisa que a gente não vê nas trocentas mortes que acontecem nas novelas atuais; reconheço que as inúmeras idas e vindas de Jade e Lucas foram enfadonhas demais, mas tenho certeza que a idéia não era essa e, se a obra fosse totalmente livre, seria mais "objetiva". C) Trilha Sonora - foi a trilha sonora mais linda de todas as novelas, foi composta por Marcus Viana *-*... é tão linda a trilha instrumental que faço questão de dormir ouvindo "A Barca de Rá" e "Maktub II", na verdade o CD inteiro, mas essas duas principalmente. 

Se Glória Perez fosse estadunidense, européia ou viesse de qualquer lugar em que novelas não fosse o principal meio de entretenimento de massa "O Clone" seria uma série de livros best-seller no mundo inteiro e sua versão cinematográfica bateria recorde de bilheteria. Um dia vou ter grana pra comprar essa novela na íntegra, só pra sonhar com amores quase impossíveis e refletir sobre a vida do ponto de vista "maktubiano" dos muçulmanos.

Algumas quotes que tuitei:


"Por que será que a gente não esquece quem já esqueceu a gente?"

"Eu só queria que ela olhasse para mim. E ela só olha pra mim quando piso nela."
Said

"Não há balança que pese o meu tesouro."
Ali

"As pessoas gostam de viver a mesma história. Se acostumam tanto com a tempestade que não sabem mais viver com a paz."
Ali

"Amor tem que ser trancado dentro do coração. Se não pode ser, não pode."
Zoraide

"O destino é uma mulher de véu: mostra um pouco, esconde muito."
Zoraide

"Tudo que nasce, cresce para a morte. As pessoas, os animais, as árvores e o amor."
Ali

"Meu coração não deixa. Minha cabeça quer, mas meu coração não deixa."
Said sobre Jade
"Jade, entre o Lucas de hoje e o Lucas que você conheceu, passou-se uma vida."
Ali
"Todo mundo pensa no que não viveu."

"Quem ama pula de um abismo como se fosse a coisa mais fácil do mundo. Quantos abismos eu ja pulei por você?"
Said para Jade
"Palavras não significam nada, palavras todo mundo diz!"
Said para Jade

"Allah criou os humanos para serem felizes."
Ali


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...